CEO Clínica, Centro de Excelência em Oftalmologia

CENTRAL DE ATENDIMENTO
37 3237-460037 99936-6829

Tratamentos

Aplicação de Antiangiogênicos (DMRI)

Algumas doenças oftalmológicas envolvem um único mecanismo patofisiológico relacionado ao aumento local de níveis do fator de crescimento vascular endotelial (VEGF), com consequente formação de neovascularização ocular. Entre elas incluem-se a degeneração macular relacionada à idade, a retinopatia diabética proliferativa e o glaucoma neovascular.

Degeneração macular relacionada à idade (DMRI)

Principal causa de cegueira no adulto e perda de visão grave em países industrializados, afetando principalmente pessoas acima de 50 anos. A idade avançada e o tabagismo são os principais fatores de risco. Existem dois tipos de DMRI: “seca”(atrófica) e “úmida”(exudativa). A forma seca é a mais comum (85% dos casos) e usualmente causa menor perda de acuidade visual. A forma exudativa, uma retinopatia proliferativa, leva a uma perda visual mais rápida e grave, sendo responsável por 90% das perdas graves de acuidade visual na DMRI. A forma exudativa possui com característica principal a formação de neovascularização coroidal, com crescimento anormal de novos vasos sanguíneos causando exudação subrretiniana e intrarretiniana de fluido, sangue e lipídeos, culminando com a perda da visão central. O fator de crescimento endotelial vascular (VEGF), indutor da angiogênese, permeabilidade vascular e inflamação, tem sido relacionado com o desenvolvimento e a progressão da neovascularização coroidal.

Retinopatia diabética

Uma das principais causas de perda de visão, atingindo principalmente pacientes entre 25 e 74 anos de idade. A perda visual pode ser secundária a edema macular, hemorragia decorrente de neovascularização ou glaucoma neovascular. Com a progressão da doença após 20 anos, cerca de 90% dos pacientes desenvolverão neovascularização retiniana ou do disco óptico. Possui progressão rápida, sendo importante o exame de rastreamento regular em pacientes com diabetes, uma vez que a instituição de tratamento pode melhorar os sintomas e impedir a progressão da doença. Pode ser classificada em duas formas: proliferativa e não proliferativa. A forma proliferativa é marcada pela presença de neovascularização do disco óptico e retina, estes vasos apresentam permeabilidade vascular aumentada, causando hemorragia vítrea, proliferação fibrótica e conseqüente descolamento tracional da retina. Perdas permanentes de visão ocorrem pelo descolamento de retina, isquemia da mácula ou a combinação destes fatores. O edema macular pode ocorrer em qualquer estágio da retinopatia.

Edema macular diabético

É a principal causa de perda de acuidade visual dos pacientes diabéticos, ocorrendo em cerca

de 30% destes após 20 anos de doença. A fisopatologia envolve o aumento da permeabiliadade vascular na área da mácula, podendo causar perda da visão central.

A aplicação de anti-angiogênicos visa o controle do edema e formação de neovasos que ocorrem na retina. Podem ser necessárias múltiplas aplicações até se obter o objetivo de melhora e/ou estabilização da doença.

MAIS INFORMAÇÕES?